De acordo com Secretaria de Saúde de São Caetano, não há motivo para pânico

Regina Maura destacou informações importantes sobre o Coronavírus

O Brasil está em alerta já que a epidemia de Coronavírus se espalha pelo mundo. “Que ela iria chegar até aqui, nós não tínhamos dúvidas, era uma questão de tempo, no entanto, o que as pessoas têm que entender é que não é preciso entrar em pânico. Temos muito mais casos graves de outras doenças, assim como a Dengue, por exemplo, espalhadas e se multiplicando pelo país que causam muito mais preocupação do que o Coronavírus em si. Claro que é preciso se prevenir, mas nada adianta, por exemplo, usar máscara e não lavar as mãos de maneira constante”, explica Paulo Rezende, infectologista do Hospital Santa Ana. O médico ainda insiste dizendo que não há motivo para alarde nacional: “Já enfrentamos outros tipos de epidemias. O mundo sabe pouco sobre o vírus e todos estamos aprendendo a lidar com essa nova realidade. O Brasil está preparado, as epidemias anteriores como H1N1 e Zika nos ensinaram muito”.

Regina Maura, Secretária de Saúde de São Caetano do Sul, tem a mesma opinião. “O Coronavírus é um vírus semelhante ao da gripe, porém com letalidade e transmissibilidade muito menor que o H1N1, por exemplo. Um detalhe importante é que a população tenha consciência que o Coronavírus só é transmitido por meio da proximidade com outra pessoa já acometida pelo vírus. E mais, tem de haver uma proximidade de menos de 2 metros para que haja a transmissão, mais que isso não é transmitido. Por ser semelhante a gripe, o Coronavírus tem como tratamento sintomático o antitérmico (contra febre), o analgésico (dores no corpo), e como suporte, o descanso. O mais importante é frisar o isolamento na etapa inicial da doença que pode e deve ser domiciliar, pois, assim, impossibilita a transmissão indevida”, explica.

Para tranquilizar a população local, a doutora ainda coloca outros dados relevantes:

  • O Coronavírus – numa pessoa infectada – só pode ser transmitido a duas ou três pessoas, enquanto o vírus do sarampo pode ser transmitido a 18 ou 20 pessoas;
  • A máscara cirúrgica, por exemplo, não deve ser utilizada de forma indiscriminada, nas ruas ou transportes públicos. Ela deve ser usada apenas e tão somente por pacientes infectados e supostos pacientes;
  • Outro detalhe que pode passar despercebido é que a “vida útil” da máscara é de, no máximo, 2 horas. A partir daí ela começa a ficar úmida e perde o filtro, que deve ser sua principal função.
    Como medida de prevenção, o Ministério da Saúde vai antecipar a campanha de vacinação contra a gripe por causa do risco de surto de Coronavírus. De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a campanha, inicialmente programada para começar no dia 13 de abril, terá início já em 23 de março. Embora a gripe seja causada por um vírus diferente (Influenza), o objetivo da medida é evitar aumento de doenças respiratórias e sobrecarga do sistema de saúde.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*